9.2.09

“Já perdoei erros quase imperdoáveis, tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso, Já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém. Já abracei para proteger, Já ri quando não podia, Já fiz amigos eternos, Já amei e fui amado, mas também já fui rejeitado, Já fui amado e não soube amar. Já gritei e saltei de tanta felicidade, Já vivi de amor e fiz juras eternas,mas "quebrei a cara" muitas vezes! Já chorei a ouvir música e a ver fotos, Já liguei só pra escutar uma voz, Já me apaixonei por um sorriso, Já pensei que fosse morrer de tanta saudade e......tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo)! Mas sobrevivi! E ainda vivo! Não passo pela vida... e você também não deveria passar. Viva!!!

Bom mesmo é ir à luta com determinação, Abraçar a vida e viver com paixão, Perder com classe e vencer com ousadia, Porque o mundo pertence a quem se atreve E A VIDA É MUITO para ser insignificante"

Charles Chaplin - Vida

link do postPor papeisdebolso, às 16:57  comentar

Restava-lhe apenas as suas recordações... Uma vida inteira reduzida agora a uma fotografia e um cartão de identidade. De que lhe valera lutar pelo seu país? Partira sem saber que seria pai.. Uma criança, fruto de um enorme amor, mas que nunca conheceria o pai, vítima de uma guerra que não era a dele, vitima de um inimigo cobarde que actuava pela calada da noite sem nunca enfrentar frente a frente os olhos do seu opositor.

Acordara naquela madrugada fria e cinzenta com um suor gelado que lhe percorria o corpo. Algo acontecera com Luís. Tinha a certeza. Insistira tanto para que ficasse a seu lado mas o seu dever patriótico falou mais alto que o amor pela sua jovem mulher e partira naquela tarde com a promessa de voltar são e salvo. Seria a sua última missão após a qual se iria retirar do Corpo de Intervenção Internacional.

Ouvira o pesado carro parar à entrada de casa. Os passos firmes, típicos de militar e de seguida a campainha. Reconheceu Joaquim e de imediato procurou Luís talvez escondido atrás do grande porte do amigo. As lágrimas escorriam pelo rosto de Joaquim e então tudo percebeu... Era o fim! Luís tinha sido mais uma vitíma da guerra e agora deixara a para sempre...

link do postPor papeisdebolso, às 16:49  ver comentários (1) comentar

 
mais sobre mim
Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


Papéis amarrotados
subscrever feeds
blogs SAPO