9.2.09

Restava-lhe apenas as suas recordações... Uma vida inteira reduzida agora a uma fotografia e um cartão de identidade. De que lhe valera lutar pelo seu país? Partira sem saber que seria pai.. Uma criança, fruto de um enorme amor, mas que nunca conheceria o pai, vítima de uma guerra que não era a dele, vitima de um inimigo cobarde que actuava pela calada da noite sem nunca enfrentar frente a frente os olhos do seu opositor.

Acordara naquela madrugada fria e cinzenta com um suor gelado que lhe percorria o corpo. Algo acontecera com Luís. Tinha a certeza. Insistira tanto para que ficasse a seu lado mas o seu dever patriótico falou mais alto que o amor pela sua jovem mulher e partira naquela tarde com a promessa de voltar são e salvo. Seria a sua última missão após a qual se iria retirar do Corpo de Intervenção Internacional.

Ouvira o pesado carro parar à entrada de casa. Os passos firmes, típicos de militar e de seguida a campainha. Reconheceu Joaquim e de imediato procurou Luís talvez escondido atrás do grande porte do amigo. As lágrimas escorriam pelo rosto de Joaquim e então tudo percebeu... Era o fim! Luís tinha sido mais uma vitíma da guerra e agora deixara a para sempre...

link do postPor papeisdebolso, às 16:49  comentar

De Pão, Bolos e Cia. a 12 de Fevereiro de 2009 às 14:00
Óptimo, finalmente mais um papel encontrado no bolso.
Continuem.

 
mais sobre mim
Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


Papéis amarrotados
Visitantes
blogs SAPO